A verdade sobre o crime bárbaro contra Danillo Cassimiro, agente penitenciário em São Francisco do Guaporé - Giro Central

A verdade sobre o crime bárbaro contra Danillo Cassimiro, agente penitenciário em São Francisco do Guaporé

marcos holanda casagrande 07/10/2019 00:00:00 Noticias
6Vl9cJyUcUIy
.




Alguns sites divulgaram de forma ambígua e contraditória o caso que aconteceu no sábado passado (05.10.2019) a respeito de uma matéria dando conta de que havia uma “confusão em frente à distribuidora de bebidas Gelo do Vale na madrugada deste sábado (05) terminou com o agente penitenciário Danilo Cassimiro Moreno agredido a paulada na região do crânio. Danilo Cassimiro foi agredido pelas costas momento que viu um elemento tentando adentar em seu veículo. Iniciou-se um bate-boca e outro individuo identificado por Diego Rodrigues apoderou-se de um pedaço madeira do tipo caibro e desferiu contra a vítima que caiu ao solo. Populares tentando socorrer a vítima, e conseguiram imobilizar um dos elementos. Danilo foi socorrido ao Hospital Regional e posteriormente encaminhado a outra unidade em Cacoal devido à gravidade da lesão. Os envolvidos na ocorrência são do Distrito de São Domingo do Guaporé. A Policia Militar chegou ao local dos fatos e prendeu um dos envolvidos e posteriormente juntamente com a Polícia Civil localizou o outro envolvido a prestar esclarecimentos do ocorrido. A vítima Danilo Cassimiro Moreno está em coma no Hospital Regional em Cacoal. O acusado Diego Rodrigues foi flagranteado por tentativa de homicídio, onde ficará à disposição da justiça”, concluiu a matéria jornalística. 


A VERDADE DOS FATOS


Centenas de pessoas ligaram para a redação do nosso site à procura de melhores informações sobre o caso dizendo a matéria contém muitas informações distorcidas, erradas e incompletas Da forma como foi noticiada a situação até parece que o agente penitenciário seria o responsável pelo crime. Para que não paire nenhuma dúvida, nosso site vai informar a verdade dos fatos. Danilo Cassimiro Moreno tem um ótimo comportamento tanto dentro do serviço como fora dele, sendo admirado pelos seus colegas de trabalho e seus parentes. Tem ótimo comportamento em serviço. Primeiro Danillo não reside no distrito de São Domingos e sim na cidade de Costa Marques. Ele é filho de Paulo Cassimiro, irmão do Lutinha da “Provedora”, filho do ex-prefeito deste município Antônio Cassimiro da Silva, que é avô de Danillo Cassimiro. No dia dos fatos, Danilo Cassimiro voltava de uma viagem de Ji-Paraná em companhia de duas amigas. Seu destino final era a cidade de Costa Marques. Por sua infelicidade, resolveu parar para comprar água no depósito onde ocorreram os fatos e continuar sua viagem até Costa. Ali havia um tipo de festa. Momento que retornava ao seu carro e se deparou com um indivíduo em seu carro que se recusava sair dizendo que estava no carro de seu amigo, sendo retirado à força pelo agente, fato que originou a discussão com amigos do invasor do veículo. Enquanto a situação se apaziguava, o indivíduo por nome de Diego Araújo Rodrigues deu a volta no carro e se apoderou de um pedaço de madeira e atingiu covardemente Danilo Cassimiro por trás, deixando-o em estado grave. Danilo foi encaminhado ao HEURO em Cacoal, onde encontra internado. O infrator foi imediatamente detido por populares e, posteriormente, preso em flagrante.


UMA FATALIDADE


É importante observar que ao ler uma matéria, seja ela ligada à segurança pública, política, esporte, religião, economia, entre outros, é preciso que haja muita atenção para não fazer ilações (inverdades). As redes sociais estão cheias de notícias falsas, mentirosas e tendenciosas. O crime que foi vítima o agente penitenciário Danilo Cassimiro foi uma fatalidade. Ele apenas queria evitar uma briga entre duas pessoas desconhecidas. Mas o infrator confundiu a pessoa e achou que Danilo Cassimiro era a pessoa que ele queria atingir. A única vontade do agente era que duas pessoas estranhas parassem de brigar para evitar um mal maior. Devido à fúria violenta do infrator que achava que Danilo Cassimiro era o desafeto, esse partiu, de forma violenta, contra o agente e lhe aplicou pauladas em sua cabeça, que só não o levaram à morte em razão da interferência de populares que estavam presentes no local e que ajudaram em socorrer o agente. (Jornalista Ronan Almeida de Araújo).

Jornalista Ronan Almeida de Araújo (DRT/RO 431/98)

Postagens Semelhantes

Coluna Empresarial

não tem banner