Papa Francisco: força - Giro Central

Papa Francisco: força

marcos holanda casagrande 14/05/2019 00:00:00 Noticias
J6xmfTXFRxV3
.




Ontem vários católicos ultra-conservadores de alguns países, principalmente, da Europa, divulgaram uma carta com conteúdo muito forte contra o papa Francisco chamando-o de herege por estar apoiando a comunidade gay, uma vez que o líder máximo do catolicismo dissera que quem discrimina membro da comunidade LGBT "não tem coração". Também criticou o papa por beijar, nos pés, membros de outras igrejas, etc. São  afirmações infundadas e sem sentido. Mas a principal crítica daqueles que se dizem católicos são  algumas mudanças que estão sendo introduzidas no ritual da religião porque o papa é um homem de visão e de pura realidade em relação ao modo de pensar e vivenciar as palavras de Jesus Cristo. Na verdade, esses senhores que se estão se opondo ao papa é em função de uma nova lei canônica de obrigar os bispos a denunciarem os padres pedófilos, algo inalterável e imaginável para quem foram nomeados como representantes de Pedro, o apóstolo-coragem e que a Igreja Católica o chama como aquele que deu os primeiros passos à criação da igreja romana primitiva presente atualmente em todos os países do mundo e com mais de um bilhão de seguidores. A fúria maior dos ultra-conservadores responsáveis na elaboração desta carta que facilmente pode ser lida nas redes sociais é porque não estão gostando do grande apoio dos bispos mundiais em torno do papa e, principalmente, dos seguidores do catolicismo pelo mundo inteiro que endossam o jeito simples, amável e humano de Francisco se colocar a serviço do povo cristão para ser um instrumento de transformação a um mundo melhor: igualitário, fraterno e libertador. Por estas qualidades papais é que crescem a ira e a inveja da linha conservadora católica ao ponto de rotular o papa de comunista e subversivo. Por último, em outubro próximo, durante trinta dias, em Roma, mais de 350 bispos do mundo inteiro vão se reunir no encontro chamado de Sínodo da Amazônia, que compreende nove países da região amazônica, para tratar de outras mudanças na Igreja Católica, entre elas, a possibilidade de o padre desta localidade, casar-se, o que vem provocando muitos comentários negativos daqueles contrários à aprovação desta nova ordem. Por tudo, pedimos as bênçãos de todos e todas no sentido de que a vela da união católica nunca se apague para que sejamos cada dia mais arraigados no Evangelho: "coragem porque eu venci o mundo". Texto Ronan Almeida de Araújo.

Jornalista Ronan Almeida de Araújo (DRT/RO 431/98)

Postagens Semelhantes

Coluna Empresarial

não tem banner