Advogado que defende o fechamento do STF não merece respeito da sociedade brasileira - Giro Central

Advogado que defende o fechamento do STF não merece respeito da sociedade brasileira

marcos holanda casagrande 20/05/2019 00:00:00 Noticias
vRnvcEGZKU3A
.




Lamentavelmente, muitos advogados têm postado nas redes sociais posição pelo fechamento do Supremo Tribunal Federal. Sobre este assunto, quero me manifestar publicamente, apesar de ter colocado meus pés fora da política há tempo por não suportar tanta asneira, infantilidade e imbecilidade sobre essa visão totalitária e anacrônica pelo fechamento do STF. Mas como o fato envolve a maior corte brasileira, vão aqui algumas colocações sobre o tema trazido à baila desde o ano passado pelo acirramento político entre esquerda e direito, Bolsonaro e Lula, etc. O artigo 133 da Constituição reserva um espaço magnífico à advocacia. No Brasil, prospera o Estado Democrático de Direito, que foi consolidado pela Constituição Federal de 1988.  A  carta mostrou ser, na verdade, um repositório de direitos e  acesso à justiça, à educação, à saúde, à alimentação, ao trabalho, à moradia, ao lazer, à previdência social e proteção à infância, entre outros.  Especificamente para os advogados brasileiros, a Carta Magna traz o artigo 133, que estipula que “O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei”, determinando a indispensabilidade do advogado por cumprir função essencial à concretização da Justiça, dentro dos fundamentos constitucionais do direito de defesa, do contraditório e do devido processo legal. O artigo 133 reconhece que o exercício da advocacia é fundamental para a prestação jurisdicional, uma vez que cabe ao advogado postular em favor do cidadão e lutará pelo reconhecimento de seus direitos em juízo. A advocacia também é essencial na formação de um dos poderes do Estado, o judiciário, contribuindo para a preservação da democracia no país. Se por um lado o advogado atua em defesa do rigor respeito à democracia, mas faz postagem, discurso de ódio ao país e fomenta a intolerância quanto à atuação do STF, certamente o causídico vive em paranoia, na ambiguidade e ausência de raciocínio lógico de comungar duas ideais totalmente opostas.  O advogado que tem essa visão irresponsável de achar que fechar o STF os problemas nacionais se tornarão diminutos, possivelmente está com o cérebro em parafuso e o zumbido em seu ouvido já contaminou boa parte de sua cognição de interpretação racional de ver a maior corte brasileira com as portas fechadas ao público por tempo indeterminado por ordem da Junta Governamental que se aventura a passos largos nessa trincheira da ditadura opressora que aniquila todos os direitos contidos na carta-magna, de modo especial ao artigo 133 em comento. Além de não merecer qualquer comentário nefasto de sua opinião delirante, o advogado com retrovisor à sua frente de que o STF fechado contribuirá para “combater, as injustiças e as corrupções”, não merece qualquer tratamento de repeito da sociedade, notadamente de seus clientes, por violar o princípio do Estado Democrático de Direito.

Jornalista Ronan Almeida de Araújo (DRT/RO 431/98)

Postagens Semelhantes

Coluna Empresarial

não tem banner