os quatro presidentes do Brasil e uma nação desgovernada - Giro Central

os quatro presidentes do Brasil e uma nação desgovernada

marcos holanda casagrande 03/04/2019 00:00:00 Politica
rvKVju0Ufrkd
.





O Brasil, atualmente, tem quatro presidentes: Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, Flávio Bolsonaro e Carlos Bolsonaro. Todos governam, todos mandam, porém, até agora, não conseguiram produzir nada, igual peixe fora d´agua. Jair Messias foi eleito presidente-mor; Flávio Bolsonaro sagrou-se vitorioso na campanha passada como senador da República depois de ter sido deputado estadual pelo Rio de Janeiro, do qual se envolveu “até as tripas” no escândalo chamado raspadinha, que consistia em dividir salário com os seus assessores na Assembléia Legislativa e Eduardo Bolsonaro é deputado federal, advogado e policial federal pelo mesmo Estado. Todos os presidentes foram eleitores pelo PSL (Partido Social Liberal). Flávio Bolsonaro disparou no dia de ontem (02.04.2019) contra o grupo islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza e luta, há décadas, à ocupação israelense no território palestino. “Quero que vocês se explodam!”, tuitou o filho do presidente ao compartilhar uma notícia sobre as críticas que o Hamas fez à visita de Bolsonaro à Israel. A interferência da família do presidente em decisões de Estado é um fato novo da democracia. A questão não é o caso em si, mas o fato de que ele deixa transparecer um método. Acho que os filhos do presidente não tomam uma atitude em relação ao governo sem uma autorização prévia ou tácita do presidente. Não acho que exista uma desconexão na família presidencial. Existe uma coordenação. Os filhos podem atuar com autonomia, mas é uma autonomia concedida pelo presidente. Isso a médio e longo prazo é insustentável.  A melhor coisa que o presidente pode fazer é deixar claro para os filhos que eles não deveriam se intrometer nem se manifestar publicamente sobre questões internas do governo. A experiência mostra que intromissão de familiares em assuntos de governo é fonte sistemática de crise. Desde a campanha, os filhos do presidente fazem questão de demonstrar uma proximidade enorme com o pai. Passados três meses de governo, eles se tornaram de fato também presidente do Brasil. A interferência da família do presidente em decisões de Estado é um caso novo da democracia. Diante de tanta besteira postada nas redes sociais, parlamentares até da base do governo resolveram “chutar o balde”. Ou o clã deixa de provocar ódio aqui e fora do Brasil ou o país ficará ingovernável diante da crise que só aumenta, como a do desemprego, do aumento semanal do combustível, da violência que desgraça as famílias, como: perda do poder aquisitivo da classe trabalhadora, falência do comércio, principalmente do menor, crescimento assustador do descrédito do eleitorado que deu a vitória no Mito que está virando mico. E o pior está por vir: retaliação dos países árabes que compram carne brasileira e começam a ter relação de outros países ligados à comunidade internacional contrária à política de Israel. Os produtores de soja também estão preocupados porque os maiores compradores que são a China e a Rússia avisaram aos quatros presidentes que se não pararem de interferir na política externa do presidente Licolás Maduro, presidente legítimo da Venezuela, abandonarão o comércio com o Brasil, o que deixará em penúria o agronegócio nacional, considerado carro-chefe da economia brasileira. Em suma, o país se encontra ingovernável, mesmo com quatro presidentes. Jornalista Ronan Almeida de Araújo (DRT-RO 431/98).










Jornalista Ronan Almeida de Araújo (DRT-RO 431/98).



Jornalista Ronan Almeida de Araújo é registrado profissionalmente na Delegacia Regional do Ministério do Trabalho no Estado de Rondônia sob 431/98

Postagens Semelhantes

Coluna Empresarial

não tem banner