A importância de comungar no período da Páscoa - Giro Central

A importância de comungar no período da Páscoa

marcos holanda casagrande 08/11/2018 00:00:00 Religio
WgFVakW3Drgu
.




 Amigos do programa oração da manhã. Bom dia. Deus te abençoe. Quero agradecer ao Senhor Nosso Deus pela sua vida e pelos seus propósitos. Vamos rezar hoje pela nossa igreja, pelas nossas famílias, pelas pessoas em desespero e por todos que sofrem. Pedimos interseção de São José pelas famílias em desavenças, pelas pessoas com graves problemas econômicos, administrativos e desemprego. Que a luz do Bendito Deus aconteça no seu coração e na vida de tantas pessoas por quem eu te convido a rezar neste momento. Iniciemos nossa reflexão louvando a Deus em nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo e amém. Hoje medito com você o segundo mandamento da igreja que nos orienta da necessidade de confessarmos sacramentalmente pelo menos uma vez ao ano por ocasião da Páscoa A igreja é nossa mãe e ela quer o nosso bem e os remédios que a ela coloca à disposição da nossa vida espiritual para nos salvar, para nos preparar para a eternidade com Deus, são os sacramentos. E esses são sinais sensíveis da graça de Deus em nós. A igreja, no segundo mandamento que ela nos dá, aos seus filhos, ela nos conclama a necessidade da confissão sacramental. Se, nós católicos, não acreditamos que os sacramentos são propriedades de nosso Senhor Jesus Cristo, são dons de Jesus à igreja em favor de seus filhos, então nós estamos num caminho errado. Precisamos crer que os sacramentos são ações de Cristo na vida de todos os católicos e de todos os que buscam esses remédios. Os sacramentos tocam nossas vidas. Eles são indispensáveis, pois instituídos por nosso Senhor Jesus Cristo. Tem o condão de nos conduzir à nossa salvação. A sagrada confissão é uma proposta como uma obrigação para todos os católicos. O sacramento da confissão ou reconciliação, é um momento em que o católico celebra na liturgia da misericórdia diante do seu confessor às suas misérias, os seus pecados, a fim de obter a graça necessária para a cura e o restabelecimento da comunhão para com Deus e com a igreja. Todos os católicos têm a obrigação de confessar os seus pecados pelo menos uma vez ao ano. É claro que muitas pessoas têm o hábito de confessar frequentemente e isso ajuda muito. Quanto mais eu tenho este hábito de buscar o sacramento da confissão, mais o estado de graça vai me acompanhar. Aqui eu quero agradecer a Deus pela vida dos sacerdotes que gostam de atender as confissões, que têm nesse ministério uma grande preocupação e também um grande oferecimento de suas vidas no atendimento ordinário das sagradas confissões. Todas as paróquias devem ter horários disponíveis para o atendimento às confissões, não somente durante o dia, mas algumas vezes também à noite, para facilitar os católicos que trabalham durante o dia, como, por exemplo, confessar os seus pecados. A confissão é um momento em que eu peço a Deus perdão através da igreja, pois os sacramentos de Cristo são dados por Jesus diretamente à mim, mas eles são dados através da igreja. Por isso eu não posso me batizar diretamente com Deus, eu não posso me crismar diretamente com Deus, comungar eucaristicamente diretamente com Deus, casar-me diretamente com Deus e nem confessar. A igreja é a esposa de Cristo e através dela o Senhor Jesus nos agracia com seus sacramentos. A pergunta que eu te faço é: se você é uma pessoa que está em condição de receber perdão dos seus pecados, você busca regularmente a confissão, você sente a satisfação espiritual na confissão porque muitas pessoas têm medo de confessar. O inimigo coloca coisas dentro da sua cabeça dizendo assim: 'a confissão é uma bobagem porque você vai confessar para um homem'. Mas o sacerdote tem um ministério bíblico, o ultimo capítulo de João fala disto, para atender as confissões e elas fazem um bem extraordinário para nossas almas. Por tanto, sigamos rumo a essa piscina de misericórdia para esse banho restaurador que nós podemos receber através de uma boa e piedosa santa confissão. Vamos à palavra de Deus. Na missa desta quarta-feira nós temos o Evangelho de Lucas, cap. 14 e eu partilho com você o versículo 33. Do mesmo modo, portanto, qualquer um de vós se não renunciar a tudo que tem não pode ser meu discípulo. Jesus está a orientar, nesta passagem do Evangelho, sobre o desapego, desapegar-se das coisas materiais. Mas nós podemos ampliar esse desapego das pessoas, desapegar-se de nós mesmos, desapegar-se de nossos pecados, pois não podemos ficar ensebando nosso pecado, não se arrependendo do pecado, não refluindo do pecado, ou seja, colocar o pecado como algo de estimação na nossa vida. Aí você não tem coragem de dar esses passos para a santa confissão. Confessar só os pecados não é fácil.  Há uma indisposição em qualquer pessoa católica para a confissão porque é algo que vai mexer. E onde? No seu orgulho. Por isso que nós temos dificuldade de confessar. A gente arruma as mais diversas desculpas para não buscarmos a confissão diante do juiz que é Deus representado pelo sacerdote. Na confissão não é fácil porque o penitente acusa-se a si mesmo tanto que muitas pessoas começam a confissão dizendo: 'Padre eu me acuso desses pecados'. A confissão precisa ser feita com um propósito grande de não voltar mais a esses pecados de ir adiante numa busca de santidade e de superação das tentações do inimigo que nos leva ao pecado. Na confissão sacramental, precisamos, cada vez mais, entender o quanto este sacramento tem um efeito curativo na nossa vida. Muitas pessoas recebem bênçãos extraordinárias em suas vidas. Superam problemas tremendos através de uma boa confissão e uma renúncia aos pecados. Por tanto, vamos colocar em pratica este abençoado mandamento da lei da igreja. É importante confessar-se pelo menos uma vez por ano Talvez você esteja há muitos anos sem confessar os seus pecados. Quem sabe agora, aproximando o Natal, tempo do advento, você não vai sentir no coração o desejo de despejar aos pés de Jesus através do sacerdote essa carga de pecado que te faz uma pessoa triste, amedrontada, angustiosa e em sofrimento interior. Renuncia, meu prezado irmão, ao pecado Leia a palavra de Deus, que está escrita em Salmos, caps. 31e 50 e prepare o seu coração para uma boa e piedosa santa confissão. Amém. Divino salvador, Senhor Jesus, que do alto da cruz curou nossos pecados, abençoa senhor com o dom do espírito santo, que ore comigo nesse momento, para que tome posse da misericórdia e abra o coração ao arrependimento dos pecados, produzindo dentro de si mesmo com tua ajuda senhor, um desejo grande de renunciar aos pecados. Deus cura seu coração, te dê a paz, te dê a coragem de ir até o sacerdote e pedir: eu quero me confessar, eu quero limpar meu coração de todas as agruras do pecado do sofrimento, da morte e da tristeza Que o Senhor encontre no seu coração esse espaço para que ele possa derramar na sua vida de forma abundante a misericórdia e o perdão. Amém. Pela interseção de São José, abençoe-vos Deus todo poderoso: Pai, Filho e Espírito Santo. Amém. Atenciosamente, Dom Adair José Guimarães, bispo da Diocese de Rubiataba e Mozarlândia, Estado de Goiás.

Postagens Semelhantes

Coluna Empresarial

não tem banner